14/01/2014 às 17:47 - Atualizado em 18/02/2016 às 21:06

PIB mais favorável eleva confiança do comércio

Após registrar queda de 4,2% em agosto, o Índice de Confiança dos Empresários do Comércio (Icec), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), recuou -2,6% em setembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. As expectativas (-2,1%) e, principalmente, as avaliações das condições correntes (-6,5%) também caíram mais lentamente que no mês de agosto, quando apresentaram oscilações de -2,5% e -11,6%, respectivamente. Já o subíndice relativo aos investimentos ficou estável após dois meses de queda.

Em relação ao mês anterior, houve alta de 3,9%, a maior desde agosto de 2012, resultado que pode ser, pelo menos parcialmente, atribuído ao maior otimismo após a divulgação do PIB. “Embora boa parte deste desempenho possa ser atribuída a fatores sazonais, é inegável que a primeira leitura do Icec após divulgação dos dados das contas nacionais relativas ao segundo trimestre causaram impactos positivos sobre o nível de confiança no comércio. De qualquer forma, em relação ao ano passado, a confiança dos empresários do comércio tem mostrado ao longo do ano que 2013 tem sido mais difícil do que o ano passado, em termos de nível de atividade no comércio”, afirma Fabio Bentes, economista da CNC.

Dentre outros dados, a avaliação das condições correntes da economia brasileira registrou elevação de 15,8% entre agosto e setembro, a maior taxa mensal deste item desde o início da pesquisa em 2011. Já a perspectiva de contratação de funcionários segue crescendo em ritmo mais lento que a média dos últimos 12 meses (3,9%) e deverá continuar a crescer de forma mais moderada, dado o ritmo mais fraco de crescimento das vendas no comércio em 2013.

 

Fonte – Site CNC: http://migre.me/gfz9Y